MULHERES DE TEJUCUPAPO

TEJUCUPAPO
As mulheres guerreiras do Tejucupapo

EM 1646 AS MULHERES DE TEJUCUPAPO CONQUISTARAM O TRATAMENTO DE HEROÍNAS, POR TEREM COM AS ARMAS, AO LADO DOS MARIDOS, FILHOS E IRMÃOS, REPELIDO 600 HOLANDESES QUE RECUARAM DERROTADOS

Quando se deu o episódio de Tejucupapo, os holandeses já tinham perdido a quase totalidade do domínio nas terras pernambucanas, estavam cercados e precisavam desesperadamente de alimentos, provisões. Tentaram, então, ocupar Tejucupapo, uma área tradicional de plantio da mandioca. A farinha de mandioca, que desde os tempos de Nassau escasseava, agora era um produto pelo qual valia a pena arriscar-se em combates. A fome assolava a população do Recife e de Maurícia, onde estavam praticamente confinados os holandeses. Vinham os holandeses da ilha de Itamaracá.

Segundo historiadores, escolheram justamente um dia de domingo para a investida. Neste dia, os homens do vilarejo costumavam ir ao Recife a cavalo para comercializar os produtos da pesca – caranguejos e outros moluscos que vendiam nas feiras da capital. O distrito estaria, portanto, menos protegido, acreditavam os holandeses.

Segundo alguns relatos, o major Nunes recebeu a informação de dois mensageiros de que o exército flamengo se aproximava. De conhecimeno da notícia, quatro mulheres incitaram e lideraram a reação. Eram Maria Camarão, Maria Quitéria, Maria Clara e Joaquina.

O motivo da atitude não teria sido exatamente político ou religioso. As tejucupapenses não estariam defendendo a permanência portuguesa no Brasil. Como também não brigaram contra a expansão holandesa na América. Elas estariam simplesmente defendendo sua vila, suas vidas e seus filhos dos invasores. Principalmente porque não contavam com a presença dos homens da comunidade.

Enquanto alguns poucos homens que ficaram em Tejucupapo foram receber os invasores a bala, as mulheres puseram água para ferver, acrescentando pimenta em tachos e panelas de barro.

Escondidas em trincheiras, atacavam com a mistura, jamais esperada pelos soldados. Os olhos dos inimigos eram os principais alvos, e a surpresa o melhor ataque. Como saldo, mais de 300 cadáveres ficaram espalhados pelo vilarejo, sobretudo flamengos. Depois de horas na batalha, no dia 24 de abril de 1646, as mulheres guerreiras do Tejucopapo saíram vitoriosas, pondo um fim à dominação Holandesa no Brasil.

O Reduto de Tejucupapo localiza-se em terras da Propriedade Megaó de Cima, pertencentes ao Distrito de Tejucupapo, município de Goiana no Estado de Pernambuco. Possui as seguintes coordenadas Latitude: 007° 35′ 44,2″ Sul e Longitude: 034° 53′ 30,0″ Oeste.

O texto é o resultado da fusão de trechos dos artigos Tejucupapo: sem os homens, mulheres foram o elemento surpresa (Jornal do Commércio, Recife – 18.02.99) e Reduto de Tejucupapo (Brasil Arqueológico – Recife). Conheça também o curta-metragem Tejucupapo, um documentário excelente com a encenação do episódio, que mobiliza boa parte da cidade e acontece anualmente.

fonte: http://www.brazzilbrief.com

Anúncios

23 comentários em “MULHERES DE TEJUCUPAPO”

  1. todo ultimo domingo de abril, apartir das 14h essa historia é revivida por mais de 220 atores locais que são liderados por dona luzia a idelizadora do teatro desde 1993

    Curtir

  2. fico feliz, pois aqui tem heroinas de verdade, como Dona Luzia minha mae Maria Dalva e outras pessoas que fizeram e fazem esse historia, do brasil e mundial que e A BATALHA DAS HEROINAS.
    todo ano temos essa insenaçao.

    Curtir

  3. Atenção, a rendição dos holandeses em Pernambuco só se dá em 26 de janeiro de 1654. Tejucupapo foi um episódio, não um marco definitivo na derrota dos holandeses no Nordeste do Brasil; a exemplo de Tabocas, Nazaré do Cabo e das duas batalhas dos Montes Guararapes (1648 e 1649)

    Curtir

  4. Ahhhhh …
    Se os Holandeses tivessem vencido…
    Não sei o que esse povo comemora todo ano …
    Acho que gostam da pobreza e da falta de desenvolvimento do lugar.

    Ahhhhh …
    Se os Holandeses tivessem vencido…

    Curtir

  5. Cite-me um país tropical colonizado pelos europeus mais evoluído que o Brasil ? Perú, Bolívia, Guiné Zaire, Costa do Marfim, Egito, Índia, etc. lista infinita. Fico com Portugal.

    Curtir

  6. participo deste espetaculo ha 13 anos no papel de holandez e não vou para por aqui, pois participo porque amo meu lugar,minha hitória, e que venham mais 13 anos.

    Curtir

  7. É com alegria que levo ao conhecimento dos “leitores” que amanhã, 31 de agosto, eu e outras 10 mulheres, serão homenageadas com a Medalha do Mérito HEROÍNAS DE TEJUCUPAPO, concedida pela Ordem dos Advogados do Brasil/Secção de Pernambuco e a Comissão em Defesa da Mulher Advogada, na pessoa da Presidenta Marilda Ângela Tabosa Ramos.
    Com certeza será um momento de emoção e orgulho. Que Deus abençõe todas as Marias em nome de MARIA, mãe de Deus e de todos nós.

    Curtir

  8. Qual o significado da palavra Tejucopapo?
    Aproveite e corrija “…comercializar caranguejos e outros moluscos …”, por “…comercializar caranguejos e moluscos”, uma vez que os caranguejos não são moluscos.

    Curtir

  9. esta batalha merece mais publicidade, Numa prova de concurso aqui em Cabo Frio apareceram perguntas sobre a BATALHA DO GENIPAPO. acontecida no Piaui Ninguem havia sequer ouvido falar nas bravas mulheres de Tejucupapo…( nem das do Piaui) Merece mesmo uma comemoração e mais visibilidade do feito pra todo o Brasil..

    Curtir

  10. Boa noite, Gostaria de saber se você pode me disponibilizar a matéria do Jornal do Comercio, sou natural de Recife e vivo em Foz do Iguaçu. Estou realizando uma pesquisa sobre o teatro de Tejucupapo e seria importantíssimo ter acesso a este documento histórico.
    Grata pela atenção e pela colaboração.

    Curtir

  11. Página virada que o tempo gravou. Foram 369 anos passados e não houve mais outro ato heroico. Precisamos despertar e batalhar na defesa desse torrão que naquela época era promissora. Hoje o seu desenvolvimento produtivo tem relação àquele tempo? Outrora foi cobiçada pelos holandeses na busca dos produtos econômicos. Temos invasão de pessoas que vão às praias e poucos se importam com a história. Aguardaremos mais 369 anos para se ver nas páginas, um povo de futuro invejável ? Tenho esperança. Conheci Tejucupapo hà 53 anos. Era descalça e muita floresta. Fui com meu pai buscar cal em Megaó. Sim, houve progresso mas seria bem melhor se o crescimento fosse intenso no sentido sócio-econômico e cultural. Boa terra. Isso é nosso Pernambuco.

    Curtir

  12. Eu li essa história quando estava na 4 série, no livro A mágica do saber. Nunca esqueci , pois achava engraçada.

    Curtir

  13. Eu li essa história quando estava na 4 série, no livro A mágica do saber. Nunca esqueci , pois achava engraçada.

    Curtir

Obrigado pela sua participação!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.